Nova pagina 1
Nova pagina 1

Outros destaques

Nova pagina 1

Região

Brasil

Mundo

Dinheiro / Economia

Variedades

Polícia

Tecnologia

Notícias Bizarras

Celebridades

A+ R A-

Paulínia News - O seu jornal na internet

Copa do Brasil: Flamengo e Cruzeiro largam na frete na semifinal

E-mail Imprimir PDF

Os dois mandantes ganharam e abriram vantagem na abertura das semifinais da Copa do Brasil. Jogos de volta acontecem na outra quarta-feira

A maioria apostava na largada positiva dos dois times mineiros, mas não foi bem assim. No Rio de Janeiro, com o apoio de sua torcida, o Flamengo fez 2 a 0 sobre o Atlético-MG, enquanto o Santos perdeu para o Cruzeiro, em Minas Gerais, mas por 1 a 0, uma vantagem que é possível ser revertida na volta no caldeirão da Vila Belmiro.

Estes dois jogos deram a largada, nesta quarta-feira à noite, das semifinais da Copa do Brasil. Os jogos de volta serão disputados na próxima quarta-feira. Quem venceu, começa em vantagem nesta disputa de 180 minutos, onde o gol fora é importante. Nesta rodada inicial nenhum visitante marcou.

MENGO NA FRENTE

Na volta, o Flamengo pode perder por 1 a 0 para chegar à final. Se levar 2 a 0, levará a definição da vaga para os pênaltis. E só perde a vaga se levar 3 a 0. Caso faça um gol, o Flamengo vai obrigar o Galo a marcar pelo menos três gols de diferença, tipo 4 a 1.

Aliás, por coincidência, nas quartas de final, o Galo perdeu para o Corinthians, por 2 a 0, no Itaquerão, e depois goleou o Corinthians, por 4 a 1, no Mineirão.

RAPOSA EM PERIGO

A vitória magra do Cruzeiro sobre o Peixe não o deixa tão confortável para o jogo de volta. Mas leva a vantagem do empate. Se perder por 1 a 0, a definição da vaga sairá na cobrança de pênaltis. Caso leve 2 a 0, então perderá a vaga para o time paulista.

Mas se marcar um gol, então o Cruzeiro vai obrigar o Santos a marcar dois gols de diferença, ou seja, vencer, por exemplo, por 3 a 1. Vão ser dois grandes jogos, com certeza.

Fonte: Futebol Interior

85,8% dos que guardam dinheiro investem em poupança, diz pesquisa

E-mail Imprimir PDF

Uma pesquisa realizada pela Fecomércio RJ/Ipsos revelou que nove em cada dez brasileiros (85,8%) que poupam dinheiro afirmaram utilizar a caderneta de poupança como principal investimento em 2014. Isso representa um avanço de 5 pontos percentuais em relação ao ano de 2013.

Os fundos de investimento aparecem em seguida com 2,5% dos entrevistados. Já os que preferem guardam dinheiro em casa e não realizar qualquer tipo de investimento totalizam 10,4%.

Segundo o gerente de economia da Fecomércio RJ, Christian Travassos, os depósitos na poupança voltaram a render 0,5% ao mês mais TR a partir de agosto de 2013, quando o Banco Central elevou a Selic de 8,5% para 9% ao ano, o que incentivou os poupadores a optarem por essa modalidade de investimento.

“A caderneta de poupança voltou a ganhar a adesão de parte dos brasileiros que haviam feito a opção por fundos de investimento quando da mudança na regra de remuneração da caderneta. Enquanto os juros básicos situavam-se iguais ou inferiores a 8,5% ao ano, o rendimento da aplicação era de 70% da Selic mais TR”, explicou, em nota.

Menor confiança

A análise mostrou ainda que houve um aumento de 3,1 pontos percentuais no número de famílias com algum dinheiro guardado, entre julho de 2013 e o mesmo mês em 2014, alcançado 19,1% do total. Este é o maior nível para o indicador desde o início do levantamento, em 2006.

De acordo com Travassos, esse aumento ocorre por causa da menor confiança do consumidor em relação ao futuro diante da conjuntura econômica.

“Uma parcela da população acredita que poupar é a maneira mais correta de se precaver contra imprevistos no mercado de trabalho, o que se mostra bastante razoável se analisarmos o custo elevado, e em alta, do crédito no país”, afirmou o economista.

Preocupação com o futuro

Do total entre os que guardam dinheiro, 66,6% afirmaram que o fazem para alguma eventualidade. Em 2013, esse percentual era de 65,8%.

Entre aqueles que pretendem comprar um imóvel com as reservas, estão 8,3%. Em 2013, foram registrados 7,1%. Esse percentual é o maior dos últimos quatro anos para esse indicador.

Houve redução de 4,2 pontos percentuais, no entanto, entre as famílias com reservas que pretendem reformar a casa, atingindo 5,9%, o menor nível da série. No ano anterior, 10,1% dos poupadores tinham essa intenção.

A pesquisa foi realizada pela Fecomércio RJ/Ipsos, entre os dias 20 e 31 de julho e ouviu mil consumidores em 70 municípios brasileiros.

Página 1 de 1366

Publicidade - Clique no banner

On line

Nós temos 981 visitantes online

Paulínia.. Paulínia.. Todas Todas