Log in
A+ A A-

Van atinge fiéis perto de mesquita em Londres

Uma pessoa morreu e outras dez ficaram feridas nesta segunda-feira, quando uma van colidiu com pedestres perto de uma mesquitade Finsbury Park, no norte de Londres em um incidente que está sendo tratado como terrorismo, disse a polícia. O motorista da van, um homem de 48 anos, foi detido pelas pessoas no local, informou a polícia, que elogiou o controle da multidão, dadas as circunstâncias.

 

"Um homem morreu no local do ataque e oito feridos foram levados para três hospitais", disse o comandante da unidade de polícia antiterrorista Neil Basu. "Todas as vítimas são da comunidade muçulmana", declarou, antes de explicar que o homem atuou sozinho.

 

A polícia disse que oito pessoas foram levadas para três hospitais diferentes e duas pessoas foram atendidas no local por lesões menores.

 

O motorista da van de 48 anos, após foi detido inicialmente pelo público no local e, após prisão pela polícia, foi levado para o hospital e estará sujeito a uma avaliação da saúde mental.

 

"Eu vou matar todos os muçulmanos", gritava um homem de 48 anos enquanto testemunhas o seguravam até a chegada da Polícia Metropolitana de Londres.

 

A polícia foi alertada sobre o incidente pouco depois da meia-noite. Segundo o Conselho Muçulmano do Reino Unido, o veículo atropelou fieis que deixavam a mesquita no Finsbury Park. Os muçulmanos comemoram neste mês o Ramadã, em que fazem jejum até o pôr do sol e depois vão à mesquita, onde fazem orações até meia noite.

 

— A ação está sendo tratada como um ataque terrorista e o Comando contra o Terrorismo está investigando — disse Basu.

 

Basu pediu aos londrinos que mantenham a calma.

 

— Tem sido um período incrivelmente difícil e os serviços de emergência estão no limite — disse.

 

Em apenas três meses, Londres sofreu três atentados e um incêndio gigantesco em um prédio residencial em uma área pobre da cidade que, combinados, deixaram dezenas de mortos e feridos.

 

MAY: REUNIÃO DE EMERGÊNCIA

 

A primeira-ministra britânica, Theresa May, afirmou nesta segunda-feira que a polícia respondeu a um alerta dentro de um minuto e identificou a situação como terrorismo em 8 minutos de ação:

 

— Isso foi um ataque a muçulmanos perto de um local de adoração. Ataques terroristas compartilham do mesmo objetivo fundamental: separar-nos. Não deixaremos isso acontecer — disse May em discurso na sede do governo. — Houve muita tolerância com extremismo neste país, incluindo a islamofobia.

 

Mais cedo, em comunicado, ela informou que vai conduzir uma reunião de emergência para lidar com a situação. Ela disse que recursos adicionais foram enviados à polícia para conduzir a investigação.

 

"Todos meus pensamentos estão com as vítimas, suas famílias e as equipes de resgate", disse em um comunicado.

 

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, muçulmano, denunciou um "ataque terrorista horrível" que apontou "deliberadamente contra londrinos inocentes, muitos deles que acabavam de orar no mês sagrado do Ramadã". No período do Ramadã, os muçulmanos praticantes vão à mesquita depois do Iftar, o final do jejum ao anoitecer, e fazem orações até a meia-noite.

 

O líder da oposição trabalhista, Jeremy Corbyn, escreveu no Twitter que estava "totalmente chocado" com o atropelamento, que aconteceu na circunscrição pela qual é deputado.

 

Imediatamente após o incidente, vídeos de um homem cercado por policiais circularam nas redes sociais. Pelo Twitter, a polícia londrina informou sobre um incidente na Seven Sisters Road, no norte de Londres. O serviço de ambulâncias de Londres também publicou no Twitter que vários veículos foram enviados para o local.

 

Media

Sportbook sites http://gbetting.co.uk/sport with register bonuses.